Indianápolis: A corrida maior.

December 7, 2015

 

 

 

Quantas coisas você faz em 1 segundo? Prender a respiração por um segundo não é desafio. Comer um New Yorker Hot Dog em um segundo não é possível. Um segundo. Pouco tempo; grande tempo. Basicamente um segundo é foi a diferença do pole-position Djeferson Ramos (incrível marca de 39s) para o 20º colocado no grid. A velocidade é sempre relativa quando ultrapassa os 300 km/h. Um segundo. Muito tempo. Pouco tempo. O palco do espetáculo? Ela, a rainha de todas as pistas.

 

Indianápolis, cidade localizada em Indiana nos Estados Unidos da América, constitui uma das mais clássicas corridas da categoria IndyCar Series. Inclusive, o monoposto Dallara DW12 leva o nome de IndyCar em relação à pista. O termo "Indy" sempre foi utilizado desde o início do século 20 como referência às corridas de monopostos dos Estados Unidos, pelo fato delas estarem diretamente ligadas as 500 Milhas de Indianápolis. Em 1992 a administração do Indianapolis Motor Speedway registra oficialmente o nome IndyCar e sanciona para a CART se usufruir da marca.

 

Uma largada mais do que espetacular decretou o início da penúltima etapa do campeonato da iAnalyze IndyCar Series da Liga Sim Racing / iRacing Brasi. Em uma exibição de competência e respeito dentro da pista, os pilotos marcaram 49 voltas em bandeira verde, criando diversas estratégias com paradas a partir da volta 25 e deixando a corrida ainda mais emocionante com diversas disputas nas mais variadas posições. A F1APS marcou presença com o seu trio constituído por Pinho, Ciarlo e Zambelli. Pinho que fez um ótimo Qualify e largou na 6º colocação do Grid. Victor Del Porto, o mago das estratégias, teve problemas em suas voltas rápidas e acabou largando dos boxes.

 

A primeira bandeira amarela foi causada por Carlos Washington em uma manobra confusa. A disputa contra Djefferson Ramos, que vinha fazendo excelente prova até o momento, acionou a primeira bandeira amarela após um contato inesperado; Ramos manteve a sua tangencia habitual na entrada da T3 e sofreu um toque interno de Carlos que tentava colocar o carro por dentro. Apesar de confusa o incidente não causou danos a outros pilotos e ficou para ser investigado pela moderação após a corrida.

 

Nesse momento, o líder era Adriano Pinheiro e os pilotos da F1APS apareciam nas seguintes posições: Ciarlo era o 6º colocado, Pinho o 8º e Zambelli ocupava a 21º posição. Victor Del Porto já figura em 9º lugar durante a relargada que aconteceu na 54º volta.

 

A corrida seguiu em alto nível e mais duas bandeiras amarelas tremularam até a volta 77. Faltando 40 voltas para o final da etapa tudo estava em suspense até a relargada da volta 81. Quem conquistaria a mais tradicional prova do calendário da IndyCar Series? Ninguém ousaria prever. Carlos Washington (o mesmo do incidente confuso) comandava agora o grid da prova. José Pinho, o nosso super regular piloto, era agora o 5º colocado.

 

A volta 90 foi palco de um forte acidente envolvendo mais de 4 carros. Com o ocorrido, todos os pilotos foram para os boxes buscando uma estratégia final para avançar e quem sabe conquistar as curvas da fantástica Indianápolis.  C. Washington manteve a liderança mais uma vez e figurava como o favorito ao posto mais desejado. Pinho ganhou uma posição nos boxes e agora aparecia em 4º lugar.

 

Faltando 20 voltas para o final da prova Adriano Pinheiro assumia a liderança e colocava, segundo o nosso querido narrador, uma mão na taça caso o resultado se confirmasse. Luiz Zambelli sofreu com o desgaste de pneus e acabou batendo sozinho na volta de número 112 causando o que poderia ser uma das últimas bandeiras amarelas da corrida. 12 pilotos permaneciam na corrida, mas somente 9 carros estavam na mesma volta do líder. Pinheiro ainda liderava a prova na relargada que se seguiu.

 

Não! Esta não seria a última bandeira amarela da corrida. Não! Indianápolis, a corrida maior do calendário não terminaria de maneira monótona! A relargada destacou dois acontecimentos. Um violento acidente envolvendo entre outros carros o piloto Carlos Washington. Dois: José Pinho realizando uma arrojada ultrapassagem dupla (Linda demais!) e assumindo a segunda colocação na prova! Espetacular senhores, espetacular! A relargada estava prevista para as últimas 2 voltas de prova.

 

Ao final de uma espetacular e tumultuada corrida Adriano Pinheiro conquistou as curvas da prova mais fantástica do calendário! Eles, Sempre ele! O piloto estreante mais regular do grid, José Pinho, terminou na segunda colocação e conquistou o melhor resultado para a F1APS até o momento. José Falcão cravou o terceiro posto e fechou o top 3 na etapa de Indianápolis. Pontuação dobrada! Emoção triplicada!

 

A IndyCar volta em 7 dias para a última etapa da temporada. Estaremos lá. E você?

Please reload

Matérias em destaque:

1ª Etapa MoT - Interlagos - Categoria B

June 23, 2015

1/2
Please reload

Matérias recentes:
Please reload

Arquivos:
Please reload

Redes Sociais:
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square